.Tâmega em Perigo

Sábado, 29 de Março de 2008

Um grito em silêncio

“Todos temos algo pelo que gritar” e como é triste saber que o medroso silêncio continua a abafar os gritos de dor e de revolta, de quem não tem sindicatos que lhe valham para enfrentar a tirania dos patrões.
Sim, têm MEDO, medo dos chefes, medo de assumirem a capacidade de pensar ou de agir. Têm medo porque essa brilhante capacidade humana, para muitos trabalhadores, como o meu pai, não passa de um motivo para que se abram as portas da rua. Vejo nos seus olhos a angústia, a revolta. E dou por mim indignada com este desequilíbrio entre portugueses. De um lado, deparo com constantes manifestações dos funcionários públicos, onde é gasto um montante considerável (por exemplo, nos milhentos cartazes) e, como exemplo actual, temos aqueles que sugeriam o despedimento da ministra da educação, aos quais, a senhora, muito tranquila, apelidou de “solução fácil”. Bem hajam os que não têm medo de agir! Do outro lado, temos os “portugueses de segunda” que, desgraçados, se abrem a boca para reivindicar algum direito é-lhes logo apresentada a carta de alforria, não vão eles contagiar os restantes a “romper barreiras sociais e a cortar as amarras”. Digo carta de alforria, pois são escravos do silêncio, do direito de ouvir e do dever de calar.
Exprimo-me com base no que acontece ao meu pai, um simples e humilde operário, licenciado no silêncio, mestrado na dureza e doutorado na amargura.
Querem justiça? Querem igualdade? Pois estas revoltas a mim fazem-me lembrar as revoltas liberais que zelam pelos direitos e privilégios de uma ordem social apenas e não de todas. Quando não se tem, não se perde. E é por terem que protestam tanto. Custa descer não custa? É duro perder não é? E não ter sequer a possibilidade de ganhar? É repugnante! Gostava eu de ver os portugueses unidos, sim, unidos no sentido genuíno da palavra, gritando “Igualdade, liberdade, fraternidade”, mas que não ficassem depois sentados à espera que os OUTROS o fizessem por eles.

 

Ovelha Perdida

publicado por negra às 19:45
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De outra ovelhinha... =) a 13 de Abril de 2008 às 04:26
ate gostava d saber o nome dessa ovelhinha perdida... =)


De negra a 13 de Abril de 2008 às 19:51
a ovelhinha chama-se ovelha perdida, o texto está assim assinado, é assim que quer ser conhecida. Quer fazer parte do rebanho. Talvez em breve se revele.


Comentar post

.Rádio Negra

.Dezembro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.posts recentes

. SÓCRATES E A LIBERDADE,

. Se o óbvio não interessa

. Até parece que conhecem o...

. CARTA ABERTA AO SENHOR AL...

. Avaliação dos professores...

. Viva a política em Portug...

. ERMELO A PAR DAS ATROCIDA...

. ALERTA!!

. SALVAR O TÂMEGA E A VIDA ...

. «MANIFESTO ANTI-BARRAGEM»...

. MANIFESTO ANTI-BARRAGEM (...

. Chefe da Comissão de Aval...

. Em Movimento

. BARRAGEM? NÃO, OBRIGADO!

. BARRAGEM DE FRIDÃO - Prog...

. Burlados pelo bem-estar

. Português: más notas por ...

. Criancinhas

. EDUCAÇÃO EM PORTUGAL: CON...

. O Ensino da Fraude

.arquivos

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Janeiro 2008

. Hang sond

.links

.tags

. todas as tags

.Educar vs Instruir, Agostinho da Silva

.a escola no reinado da Maria de Lurdes

.TÂMEGA: imagens de arquivo

.Crime no TUA

.Jiddu Krishnamurti -pensamento

.MOVIMENTO

blogs SAPO

.subscrever feeds